segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz Ano Novo!!!


Que 2013 nos traga muitas alegrias, saúde, dinheiro, amor(es), conquistas e paz! Tudo de melhor!

domingo, 30 de dezembro de 2012

Bolo de limão e mirtilos e 2 anos de Blog


O dia do aniversário do Blog já passou, mas ainda estamos no mês de aniversário, então está valendo...risos. Nunca tive um final de ano tão corrido, nem pude aparecer aqui para desejar um Feliz Natal, mas espero que ele tenha sido o melhor possível para todos!

Esse bolo eu preparei para o aniversário do meu amoreco, e fez muito sucesso na família dele. A receita veio do meu livro de bolos de festa favorito, o Sky High. Infelizmente, não o utilizo tanto quanto gostaria, pois são raras as oportunidades de fazer um bolo desses (e também porque são receitas que demandam um certo tempo, e que têm um cus$$$to maior), mas todas as receitas que testei até hoje ficaram fantásticas! Acho que os autores tiveram um cuidado enorme em criar bolos que fogem do que normalmente se vê, e com sabores que casam lindamente, como é o caso dos limões e mirtilos (blueberries).

Nesse bolo eu adaptei um bocado de coisas, principalmente na quantidade de recheio , que achei pouca (quando fiz o bolo Piña Colada comentei sobre isso), e na cobertura, pois creio que o buttercream que os americanos tanto adoram fica pesado, não é muito o nosso gosto aqui no Brasil. Desta forma, reduzi muito a quantidade de manteiga, que foi de 280g para 180g (para compensar, incluí o chocolate branco). Também troquei o limão siciliano original pelo tahiti, mais fácil de achar, entre outras coisinhas. A receita original é para um bolo de 3 camadas, utilizando-se formas de 20 cm. Como eu não tenho nenhuma forma desse tamanho, quiçá 3, utilizei 2 formas de 25 cm, e deu certinho. Tirei uma foto do bolo cortado para vocês verem, mas foi a fatia que restou, já estava toda "sambada", e não fez justiça à receita, que além de gostosa fica linda! Na decoração usei também folhas de hortelã, mas não aparecem na foto, pois deixei para colocar bem na hora de servir...

No mais, só gostaria de agradecer a todas as pessoas que passaram por aqui, nos últimos 2 anos! Gosto muito desse bloguito, é para mim uma terapia e um prazer vir aqui, contar histórias e dividir receitas. Espero que essas mesmas receitas rendam bons momentos com outras famílias, boas lembranças e histórias para contar. Acho que a comida nos une, tanto o ritual de preparar uma refeição quanto o ato de comer, e isso tem sido cada vez mais importante, no corre-corre da vida moderna... Obrigada!

PS: Com as 7 gemas e os limões sem casca que sobraram, preparei outra receita, um curd de limão, que postarei mais tarde, ok? 


Bolo de Limão e Mirtilos

Recheio:
-      450g de mirtilos (blueberries) congelados ou frescos
-      3/4 xícara mais 2 colheres de sopa de açúcar
-      3 colheres de chá de suco de limão
-      2 colheres de chá de raspas da casca do limão
-      1 1/2 colher de chá de gengibre fresco ralado

Junte em uma panela todos os ingredientes, e leve ao fogo médio, mexendo para dissolver o açúcar. Continue cozinhando, mexendo frequentemente, por cerca de 20 minutos (vá apertando os mirtilos com as costas da colher), ou até a mistura engrossar, reduzir, e ficar como uma geleia. Não deixe engrossar demais, para não ficar difícil de espalhar. Retire do fogo e deixe esfriar. Na receita original as frutinhas são batidas e coadas antes de fazer o recheio, mas eu gosto delas assim, mais rústicas...

Bolo:
-      200g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
-      2 xícaras de açúcar refinado
-      2 colheres de chá de raspas da casca do limão
-      3 colheres de sopa de suco de limão
-      7 claras de ovos
-      3 xícaras de farinha para bolos*
-      4 colheres de chá de fermento em pó
-      1/2 colher de chá de sal
-      1 1/4 xícara de leite

Preaqueça o forno a 180°. Unte com manteiga 2 formas de 25 cm ou 3 de 20 cm, forre os fundos com papel manteiga e unte o papel também. Em uma batedeira (acredite se quiser, eu usei o mixer, com o fouet adaptado), bata a manteiga, o açúcar, as raspas e o suco de limão até ficar leve e fofo (comece batendo em velocidade baixa, e depois passe para média). Junte as claras, 2 ou 3 a cada vez, batendo bastante entre cada adição, e raspando as laterais da vasilha sempre que necessário. 

Misture a farinha, o fermento e o sal  (o ideal é peneirá-los juntos), e acrescente-os à massa em 3 adições, intercalando com o leite (em 2 adições), e batendo a massa em velocidade média-alta por cerca de 1 minuto, ou o suficiente apenas para incorporar bem os ingredientes. 

Separe 1 xícara da massa e divida o restante entre as formas, nivelando as superfícies com uma espátula. Na massa que você separou, junte 2 1/2 colheres de sopa do recheio de mirtilos (já frio), e misture bem. Espalhe colheradas desta massa (que vai ficar roxa) nas assadeiras e, com a ponta de uma faca, desenhe arabescos (foto acima). Não misture demais!

Asse por cerca de 25 minutos, ou até que o palito saia limpo, e as laterais do bolo comecem a se desprender das formas. Retire do forno, deixe esfriar nas formas por cerca de 10 minutos e depois desenforme (o bolo é uma beleza, desenformou super fácil!) e deixe esfriar em uma gradinha por pelo menos 1 hora.

* Farinha para bolos caseira: para fazer uma xícara, coloque 2 colheres de sopa de amido de milho e complete o restante da xícara com farinha de trigo.

Cobertura:
-      1 xícara de açúcar refinado
-      1/4 xícara de água
-      2 ovos
-      180g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
-      3 colheres de sopa de suco de limão
-      1/2 xícara bem cheia de gotas de chocolate branco derretido e em temperatura ambiente
-      Opcional: mirtilos frescos e folhas de hortelã para decorar

Em uma panela pequena misture o açúcar e a água. Mexa até o açúcar dissolver, depois pare de mexer e deixe ferver, até que a calda engrosse, mas ainda permaneça clara. O melhor mesmo é usar um termômetro, quando ele atingir 115° está pronto, é só remover do fogo. 

Na batedeira, em velocidade média, bata ligeiramente os ovos. Acrescente a calda de açúcar aos poucos, mas de forma constante. Cuidado para não atingir a pá da batedeira e a calda espirrar! Quando tiver colocado toda a calda, aumente a velocidade para média-alta e bata até a mistura ficar bem fofa e em temperatura ambiente. Isso pode levar de 15-20 minutos, mas é muito importante, para não desandar na hora de colocar a manteiga.

Quando a mistura estiver na temperatura certa, reduza a velocidade para média-baixa e gradualmente acrescente a manteiga, 2-3 colheradas de cada vez, batendo bem entre cada adição. Se a mistura não firmar, leve ao congelador para resfriar por cerca de 5 minutos, mexendo a cada 1 minuto, para não congelar o fundo, e volte a bater na batedeira. Junte o suco de limão, bata mais um pouco, e finalmente acrescente o chocolate branco derretido e em temperatura ambiente (para não desandar), e bata até incorporar. 

Montagem:

Coloque o primeiro bolo em um prato, de ponta cabeça. Espalhe o recheio de mirtilos (se for fazer 3 camadas, divida o recheio em 2 partes). Não espalhe a cobertura até as bordas do bolo para não derramar. Deixe um espaço de 0,5 a 1cm. Cubra com o segundo bolo, também de ponta cabeça. Coloque a cobertura em cima, e vá espalhando pelas laterais. Eu acho mais fácil fazer, primeiro, uma camada bem fina de cobertura, mais para deixar o bolo lisinho (como se fosse uma massa corrida), deixo esfriar na geladeira por uns 20-30 minutos, e depois vou espalhando o restante. Como não tenho grandes habilidades com decoração de bolo, e o dia estava muito quente, achei mais fácil ir espalhando às colheradas, fazendo desenhos com as costas da colher. Quem leva mais jeito pode até usar um saco para confeitar... Deixe o bolo na geladeira até a hora de servir (a cobertura firma mais, quando a manteiga e o chocolate esfriam), decore com os mirtilos frescos e as folhinhas de hortelã, e sirva.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Brigadeiro de Chocolate Amargo e Nuts


Esse não é um brigadeiro para ser servido em festinhas infantis. Entretanto, faz muito sucesso com adultos. O modo de preparo é basicamente o mesmo, a diferença está nos ingredientes utilizados. Não economize! Utilize o melhor chocolate, a melhor manteiga, e o melhor granulado que você puder comprar. Tostar ligeiramente as nuts no forno as deixa mais crocantes e acentua o seu sabor, mas, na falta de tempo, não deixe de fazer o brigadeiro por causa disto.

Para preparar cerca de 20 brigadeiros grandes,  ou 50 pequenos, misture 1 lata de leite condensado, 1 colher de sopa generosa de manteiga, 2 colheres de cacau em pó (usei um chocolate belga, o Extra Brute 100%, da Barry Callebaut) e leve ao fogo médio-baixo, mexendo constantemente, até que engrosse e você possa ver o fundo da panela. Acrescente 2 colheres de sopa de creme de leite fresco, mexa mais um pouco e desligue o fogo. Junte 3/4 xícara de nozes variadas picadas (coloquei nozes comuns, pecãs, amêndoas e castanha do pará), misture e transfira para um prato fundo, untado com manteiga. Deixe esfriar e depois faça as bolinhas do tamanho desejado (unte as mãos com manteiga para não grudar) e passe pelo granulado. Eu usei splits de chocolate amargo, também da Callebaut (em BH tem para vender na Maria Chocolate).

sábado, 22 de dezembro de 2012

Dica para o Natal: Tábua de Frutas Secas e Nuts

Eu encontrei essa tábua de frutas secas no supermercado e achei fantástica! Fica visualmente linda, tem tudo a ver com essa época do ano, e é super simples de fazer (da próxima vez vou comprar os ingredientes separadamente no mercado e montar >>> fica bem mais barato!). Olha que linda:


Deve ficar bem interessante também se os damascos e as tâmaras forem recheados com queijo de cabra, ou quem sabe um cream cheese. Hummmm...

Farofa de Maracujá com Bacon, Castanha de Caju e Passas

Essa receita delícia tem cara de festa, e é perfeita para a ceia de Natal ou Ano Novo! Eu já postei ela aqui, quando comecei o blog, mas a foto não fez juz ao prato. Da outra vez eu já havia reduzido a quantidade de farinha, e agora diminuí ainda mais, para a farofa ficar bem "recheada" e molhadinha. Também utilizei farinha de mandioca flocada, e gostei do resultado. Eu peguei a receita no e-book de natal do Panelinha, e já fiz diversas vezes, sempre com sucesso. O livro, disponibilizado gratuitamente, possui muitas outras receitas, todas bem explicadas. Recomendo!


Farofa de Maracujá com Bacon, Castanha de Caju e Passas
(adaptada daqui)


-      2 maracujás azedos
-      100 gr de manteiga
-      1/2 xícara (chá) de bacon em cubinhos
-      2 cebolas médias em fatias finas
-      300 gr de farinha de mandioca flocada
-      1/2 xícara (chá) de uvas-passas pretas
-      1 xícara (chá) de castanhas-de-caju
-      sal e pimenta calabresa a gosto
-      alecrim, tomilho, orégano, salsinha e cebolinha para temperar

Corte os maracujás ao meio e passe a polpa por uma peneira. Reserve o suco e as sementes. Numa panela, coloque a manteiga e o bacon e leve ao fogo médio. Acrescente a cebola. Quando o bacon começar a dourar, junte as sementes do maracujá, o alecrim, o tomilho e o orégano e refogue rapidamente.  Junte as passas, as castanhas-de-caju e refogue mais um pouco. Misture a farinha de mandioca e mexa bastante, deixando dourar um pouquinho. Regue com o suco de maracujá e deixe cozinhar por mais alguns minutos, mexendo sempre.  Nessa hora é bom usar um garfo, para não deixar a farinha e o suco formarem grumos. Acerte o sal, coloque a pimenta e finalize polvilhando a salsinha e a cebolinha picadas.


domingo, 16 de dezembro de 2012

Bolinho 100% Integral com Mel


Quem não gosta de bolo, bom sujeito não é... ;) 

Esse então, feito 100% com farinha integral, e adoçado somente com mel, fica bom demais! No dia-a-dia, eu prefiro assar os bolos em forminhas de muffin, o que me permite congelar uma parte da fornada para consumo futuro. Eles congelam muito bem, e depois basta deixá-los em temperatura ambiente, ou colocar por 30 segundos no microondas, para que fiquem como novos. E para quem pensa que todo bolo integral é pesado e massudo, eu garanto que esses são super fofinhos! O melhor de tudo? Suja só uma vasilha na hora de preparar... 

Ah! A receita original sugeria uma cobertura de laranja, que levava 2 xícaras e meia (!!!) de açúcar de confeiteiro. Não dá, né? Não para o dia-a-dia. Optei então por dispensar a cobertura, mas decidi incorporar à massa raspas da casca de 1 laranja, pois achei que combinaria bem com o mel e a canela. Isso porque eu fiz meia receita, caso contrário colocaria as raspas de 2 laranjas, ok?

Bolinho Integral com Mel
receita daqui

-      3 xícaras de farinha de trigo integral
-      1 colher de sopa de fermento
-      1 colher de sopa de canela em pó
-      1 colher de chá de sal
-      3 ovos em temperatura ambiente
-      2 xícaras de leite
-      1 3/4 xícara de mel
-      3/4 xícara de óleo vegetal
-      1 colher de sopa de extrato de baunilha
-      opcional: raspas da casca de 2 laranjas

Em uma vasilha grande, misture a farinha, o fermento, a canela e o sal. Junte os ovos, 1/2 xícara de leite, o óleo, mel e baunilha. Dica, coloque primeiro o óleo, e depois use o medidor para colocar o mel. Desta forma, ela não gruda na xícara. Com uma batedeira, ou o mixer com o fouet adaptado, bata em velocidade média-baixa por 1 minuto, até misturar tudo. Raspe as laterais da vasilha com uma espátula e bata em velocidade média por mais um minuto. Acrescente o restante do leite e bata novamente em velocidade média por mais 1 minuto (a massa fica mais rala mesmo, não se preocupe). Leve para assar em forno médio (180°) por 45-50 minutos, se você estiver usando uma forma comum de bolo. Como eu usei forminhas de muffin, eles assaram em 35 minutos. Como a temperatura de cada forno varia muito, faça o teste do palito. Deixe esfriar completamente sobre uma gradinha, antes de desenformar. Para decorar, polvilhei um pouquinho de aveia em flocos finos.

Rendimento: 1 forma de 33x23cm, untada e enfarinhada, ou cerca de 14 muffins (em cada cavidade coloque uma forminha própria). Eu preparei 1/2 receita, usando 2 ovos pequenos, e consegui 7 bolinhos.

sábado, 15 de dezembro de 2012

Risoto de Arroz Integral com Shimeji

Olá! Há quanto tempo! Estava com saudades do blog, mas esse final de ano está ainda mais corrido do que o normal... Estou muito sobrecarregada com o trabalho, e tenho feito hora extra todos os dias nos últimos 2 meses. Também estou me esforçando para não faltar à ginástica (especialmente nessa época, em que todo dia tem uma festinha), então tem me sobrado muito pouco tempo... 

Esse risoto eu preparei há uns 2 meses, com uns cogumelos orgânicos que estavam na geladeira, perigosamente perto de estragar. Como era um jantar de meio de semana, resolvi usar o arroz integral, mais saudável. Ficou muito bom! Recomendo. Os cogumelos orgânicos, para quem mora em BH, são do caminhante, e custam até mais barato do que os comuns (frescos), à venda em alguns supermercados da cidade. São de altíssima qualidade, cultivados, como já disse, de forma orgânica, e irrigados com água de nascente.



Risoto de Arroz Integral com Shimeji

-      3/4 xícara de arroz integral
-      200 gr de cogumelos shimeji flórida (separe os cogumelos, cortando sua base)
-      1 lt de caldo de legumes (eu uso o caseiro, mas pode ser o comum)
-      1/4 xícara de vinho branco seco (vinho que você não bebe também não serve para cozinhar, ok?)
-      1 colher de sopa de manteiga
-      1 cebola média picadinha
-      2 dentes de alho picadinhos
-      1/3 xícara de queijo grana padano ralado
-      azeite, sal, pimenta-do-reino, salsinha e cebolinha a gosto

Em uma panela, coloque um fio de azeite e refoque o arroz, a cebola e o alho. Junte o vinho e deixe evaporar. Coloque 2 conchas do caldo e vá mexendo. Quando o caldo estiver secando, coloque mais 1 concha e repita o processo, até que o arroz fique no ponto (talvez não seja necessário usar todo o caldo). Junte os cogumelos, mexa por uns minutinhos (não muito, pois cozinham muito rápido), e desligue o fogo. Acrescente a manteiga, o queijo, mexa e tampe a panela. Deixe descansar por uns 5 minutos antes de servir. Acerte o sal e a pimenta (melhor deixar para o final, pois o caldo industrializado e o queijo já possuem sal), polvilhe salsinha e cebolinha, e sirva.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Suco de Melancia com Gengibre e Limão


Não sei como está na cidade de vocês, mas aqui em BH está fazendo um calorão daqueles. Dá até preguiça de sair de casa... Esse suco é perfeito para enfrentar esses dias escaldantes! Refrescante, fresquinho, e não dá trabalho (achei a dica aqui) . É só bater no liquidificador 1/4 de melancia picada sem a casca, mas com a parte branca (eu tirei as sementes que estavam mais visíveis, mas sem neura), um limão picado com casca e tudo, e um pedaço de gengibre, com uns 2 cm, descascado. Coloquei um pingo de água, só para ajudar a bater. A minha melancia estava super doce, então não precisei adoçar, mas se for necessário, fique à vontade. Depois é só coar e servir imediatamente. Se for deixar na geladeira, acho que seria melhor usar apenas o suco do limão, mas não testei. Ah! A melancia tem que estar beeeeemmmm geladinha, ok?

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Ratatouille ou Tian?

Esse tian de legumes é um repeteco, pois já foi postado aqui no blog (para ver a receita, clique aqui). Quando preparei, meu namorado me perguntou se não era uma ratatouille, e por isso me peguei pensando nas diferenças entre um e outro. Até onde sei, embora os dois pratos pertençam à culinária provençal, a ratatouille tem molho, é feita de uma forma mais rústica (não em camadas) e também não é assada. Por isso, há quem diga que o prato que o ratinho Remy preparou na animação Ratatouille foi, na verdade, um tian de legumes... 

Polêmicas à parte, eu recomendo que você prepare essa receita. O meu foi feito totalmente com legumes e ervas orgânicos (alecrim, tomilho, salsinha e cebolinha). Desta vez, não usei pimentão, e o alho, bem picadinho, foi polvilhado por cima, para não queimar no fundo. Eu sempre faço bastante, pois gosto que tenha sobras. Assim posso preparar um delicioso sanduíche com elas: pão de forma integral ou ciabatta, queijo e o tian. Hummmmmmm!

PS: aqui tem um link para uma receita tradicional de ratatouille, que encontrei no site da Larousse Cuisine. Possui inclusive um vídeo, que está em francês, mas pelas imagens nem precisa conhecer a língua para entender. Esta é a receita tradicional, e quando estive em Paris comi uma parecida. Fica deliciosa também, mas, como podem ver, é bem diferente do tian...



terça-feira, 6 de novembro de 2012

Salada de beterrabas assadas com rúcula, laranja e queijo feta


A receita da salada eu tirei do mesmo livro de onde peguei a receita da tilápia, no post anterior, e adaptei um nadinha, apenas para deixar as beterrabas assadas mais saborosas. O livro chama-se Fresh Flavor Fast, e pertence à coleção Everyday Food, que, por sua vez, só poderia ser da idolatrada, salve, salve Martha Stewart... Estou viciada nele! Todas as receitas que fiz ficaram ótimas. Como o próprio nome diz, são rápidas e feitas, principalmente, com ingredientes frescos. Nada de enlatados ou misturas prontas... 

Falando em livros, outro dia passei na Fnac do BH Shopping, e vi vários volumes do Jamie Oliver em promoção. Comprei o Revolução na Cozinha por R$35,90 (bem abaixo do que costumo ver), mas também tinha o Jamie em Casa, Jamie na América, Chef sem Mistérios, etc. Gosto muito dele , tenho alguns livros e uso com certa frequência, só me desapontei um pouco com o Jamie na Itália (achei meio preguiçoso, esperava mais), mas amei o 30 Minutos. Ah! Comprei também, por inacreditáveis R$5,90, o livro Regras da Comida, por Michael Polan. Ótimo! Simples, divertido, fácil de ler, e muito, muito útil. Recomendo!

Salada de Beterrabas Assadas com Rúcula, Laranja e Queijo Feta
(rendimento: 4 porções como entrada ou 2 como prato principal)

-      4-5 beterrabas pequenas
-      2 laranjas
-      2 colheres de sopa de azeite
-      1 colher de sopa de vinagre de vinho branco
-      1 colher de chá de mostarda Dijon
-      2 punhados grandes de rúcula, higienizada e seca
-      140g de queijo feta esmigalhado
-      sal e pimenta-do-reino moída na hora, alecrim seco

Preaqueça o forno a 230° (temperatura alta). Em um pedaço de papel alumínio, coloque as beterrabas limpas, mas ainda com casca, 1 colher de sopa de azeite, e polvilhe com alecrim, sal e pimenta a gosto. Embrulhe bem, deixando uma folga para o vapor, e leve ao forno, em uma assadeira, por 45-50 minutos, até que as beterrabas estejam macias (faça o teste espetando a ponta de uma faca). Retire do forno e deixe esfriar, até que possam ser manuseadas. Retire a casca esfregando os dedos, ou um pedaço de papel toalha (para não manchar as mãos), e corte em pedaços médios. Esse é, para mim, o melhor jeito de preparar uma beterraba. Ela fica bem adocicada, e saborosa. Depois que você experimentar, nunca mais vai querer comer beterraba cozida... ;)

Enquanto isso, prepare as laranjas: corte as duas pontas com uma faca afiada, e vá descascando, retirando também aquela película branca, seguindo a curvatura da fruta. Depois de descascada, segure a laranja com uma das mãos, sobre um bowl, e faça cortes em "V", ao longo das membranas, para retirar os gomos. Esprema o suco que sobrou das laranjas no bowl, e junte o azeite restante, mais o vinagre e a mostarda. Tempere com sal e pimenta e misture bem.

Despeje o molho sobre a rúcula, misturando delicadamente. Divida as folhas pelos pratos e disponha as beterrabas, gomos de laranja e queijo feta. Sirva imediatamente.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Tilápia com Tomates, Rúcula e Alcaparras


Eu adoro peixe! Infelizmente não como com a frequência recomendada, mas estou chegando lá. Essa receita é uma delícia, e pode ser feita usando qualquer peixe branco, com a carne firme, como o saint peter, merluza, linguado... Também é ótima para aproveitar aquela rúcula que ainda está boa, embora não esteja mais fresca e crocante o suficiente para ser comida crua, na salada. Ah! O melhor de tudo: suja uma única frigideira e fica pronta em menos de 30 minutos!

Tilápia com Tomates, Rúcula e Alcaparras
4 porções - receita daqui

-      2 colheres de sopa de azeite
-      2 xícaras de tomatinhos, partidos ao meio
-      1 maço (não muito grande) de rúcula
-      3 colheres de sopa de farinha de trigo
-      4 filés de tilápia
-      1/2 colher de chá de pimenta calabresa (ao a gosto)
-      1/2 xícara de vinho branco seco
-      2 colheres de sopa de alcaparras, lavadas e escorridas
-      2 colheres de sopa de manteiga sem sal gelada, cortada em pedaços
-      sal e pimenta-do-reino moída na hora

Coloque uma frigideira antiaderente grande em fogo médio-alto, e aqueça 1 colher de sopa do azeite. Junte os tomates e tempere com sal e pimenta-do-reino. Cozinhe, mexendo ocasionalmente, até amaciar. Retire do fogo, junte a rúcula e mexa para refogar levemente. Transfira para um prato e tampe para manter aquecido. 

Enquanto isso, coloque a farinha em um prato. Seque os filés de peixe com papel toalha e tempere ambos os lados com sal e pimenta calabresa. Passe a tilápia pela farinha, e dê alguns "tapinhas" para retirar o excesso. Volte a frigideira para o fogo, aqueça a outra colher de azeite, e frite os filés de tilápia. Se a sua frigideira não for grande o suficiente, frite por etapas. Neste caso, talvez seja necessário mais um pouco de azeite, mas lembre-se que é só um pouco, para deixar o peixe crocante - a ideia não é fritar por imersão, pelamor! Evite virar o peixe em demasia, para não despedaçar os filés, e cozinhe até que fiquem dourados (cerca de 3-4 minutos de cada lado). Quando estiver no ponto, transfira para um prato e tampe, para manter aquecido.

Ainda na mesma frigideira, coloque o vinho branco, mexa para pegar todo o sabor do peixe, e deixe ferver até reduzir à metade (1 ou 2 minutos). Retire do fogo, junte as alcaparras e acrescente a manteiga aos poucos, mexendo até derreter e engrossar o molho ligeiramente. Divida os tomates e rúculas nos pratos, coloque 1 filé de peixe sobre eles e distribua o molho por cima de tudo. 

domingo, 28 de outubro de 2012

Um bolo de chocolate com avelãs muito fácil e muito intenso


Esse bolo leva água no lugar de leite, mas não deve ser confundido com o bolo nêga maluca, um clássico das festas de aniversário da minha infância, e que é mais docinho, e leva água quente. A receita original deste bolo é do livro Panelinha, e leva chocolate em pó. Eu fiz uma adaptação pequena, mas de grande efeito dramático, ao trocar o chocolate por um cacau em pó Callebaut Extra Brute 100%. Esse cacau, do tipo alcalinizado, não é muito comum aqui no Brasil. O cacau alcalinizado é aquele tratado com uma solução alcalina, que neutraliza a sua acidez, deixando-o mais solúvel, com sabor forte e bastante aromático (leia mais aqui). Sua cor é bem mais escura do que o cacau comum, mais pálido... As avelãs, que estavam rolando na geladeira há tempos, foram tostadas antes de serem adicionadas, de forma a realçar o seu sabor. Enfim, não é um bolo de chocolate para crianças, nem serve muito como sobremesa, mas acompanha muito bem um café ou chá da tarde.

Bolo de Chocolate com Avelãs

-      4 ovos, orgânicos ou caipiras
-      1 xícara de chá de açúcar
-      1 xícara de chá de cacau em pó (vide observação acima)
-      1 xícara de óleo
-      1 xícara de água
-      2 xícaras de farinha de trigo
-      1 colher de sopa de fermento
-      3/4 xícara de avelãs tostadas, descascadas, e grosseiramente picadas

Preaqueça o forno a 180°. Unte com manteiga uma fôrma com furo central e polvilhe farinha de trigo, ou chocolate em pó (para não ficar esbranquiçado ao desenformar). Para fazer o bolo você pode usar a batedeira, mas eu bati na mão mesmo, e foi super tranquilo. Em uma tigela, peneire o açúcar e o chocolate em pó. Junte os ovos e o óleo, e bata devagar, tomando cuidado para o chocolate não subir, até misturar bem, depois aumente a velocidade e bata mais uns minutinhos. Adicione, alternadamente, a farinha (também peneirada) e a água, batendo apenas o suficiente para misturar. Por fim, adicione o fermento e as avelãs. Verta a mistura na forma e asse por 30  minutos (no meu forno porcaria levou 40), ou faça o teste do palito. Retire do forno e espere esfriar por 15 minutos para desenformar (eu particularmente espero o bolo esfriar completamente, pois já tive péssimas experiências tentando desenformar bolo ainda morno).


sábado, 27 de outubro de 2012

Marmita: tomates recheados com espinafre e espaguete alho e óleo

Há quanto tempo a minha marmita não dava pinta aqui no blog! Mas essa aqui merecia ser publicada, pois ficou muito boa, além de ser rápida de preparar. Eu venho tentando privilegiar as refeições sem carne, e essa é uma ótima opção. Essa quantidade rende aproximadamente 3 porções, ok?

Comece preparando os tomates rechados: pique 1 maço de espinafre (folhas e talos mais finos), e cozinhe rapidamente no vapor (não jogue fora a água, ela vai servir para cozinhar o macarrão). Enquanto isso, separe 6 tomates, faça um corte na parte inferior, para que possam ficar em pé. Corte também uma tampa na parte superior de cada um e, com os dedos, retire as sementes. Tempere o interior dos tomares com um micro fio de azeite, sal e pimenta-do-reino moída na hora. Rale um pouco de queijo (eu usei queino minas do serro), cerca de 1/2 xícara, misture com o espinafre já cozido e picado, e coloque 1 colher requeijão, ou creme de ricota, só para dar liga. Tempere com sal, pimenta, e uma pitada de noz moscada. Com cuidado, usando uma colher de café, recheie os tomates. Se quiser, polvilhe farinha de rosca ou queijo parmesão. Acomode-os em uma assadeira e leve para assar em forno médio preaquecido, até o queijo dourar (é bem rápido, coisa de 10-15 minutos).

Enquanto isso, prepare o espaguete ao alho e óleo (spaghetti aglio olio): coloque o espaguete para cozinhar , pelo tempo indicado, na água que você usou para fazer os espinafres no vapor. Além de ganhar tempo, essa água é cheia de nutrientes (aprendi em um livro do Michael Polan). Pique uns 6-8 dentes de alho (ou à gosto) e coloque em uma frigideira com cerca de 4 colheres de sopa de azeite. Frite até começar a dourar (cuidado para não queimar), junte um pouco de pimenta calabresa, ou pimenta dedo de moça picadinha, mexa por mais 1 minuto, e desligue o fogo. Acrescente o espaguete, mexa para incorporar, tempere com sal e pimenta-do-reino (se for necessário), coloque mais azeite, se precisar, e polvilhe bastante salsinha e queijo parmesão. Muito bom!


sábado, 13 de outubro de 2012

Barrinhas de Limão Cravo


Para fazer essa receita, usei limão cravo orgânico, delicioso, perfumado, e com muuuuuito suco. Aqui em Minas ele é mais conhecido como limão capeta, mas limão cravo é um nome mais bonito e poético, não? Essas barrinhas, super azedinhas, não são boas para serem comidas ainda quentes. Aliás, elas ficam ainda melhores no dia seguinte. A receita eu encontrei aqui, e adaptei um nadinha, para substituir parte da farinha por gérmen de trigo, que deixou a massa mais leve (ou pelo menos assim me  pareceu). De resto, é uma receita muito simples, e faz pouca sujeira, pois dispensa batedeira, liquidificador, e outras engenhocas. 

Barrinhas Super Azedinhas de Limão Cravo
(rende 16 pedaços)

-      100gr de manteiga sem sal derretida
-      1/4 xícara de açúcar refinado
-      3/4 colher de chá de extrato de baunilha
-      1/4 colher de chá de sal
-      3/4 xícara de farinha de trigo
-      1/2 xícara de gérmen de trigo
-      1 xícara de açúcar refinado
-      3 colheres de copa de farinha de trigo
-      3 ovos
-      raspas da casca de 2 limões cravo
-      1/2 xícara de suco de limão cravo coado
-      açúcar de confeiteiro para polvilhar

Preaqueça o forno a 180°. Unte levemente uma forma quadrada de 20 cm com manteiga, e forre com papel alumínio. Deixe uma sobra para fora da forma, como se fossem "alças". Unte o papel alumínio com manteiga. 

Para preparar a base, misture a manteiga derretida com o açúcar, a baunilha e o sal. Junte a farinha e misture bem. Não é uma massa para se manipular, como a páte brisée. Ela fica mole e um pouco oleosa. Verta na assadeira e vá nivelando com as costas de uma colher. Asse por 25-30 minutos, ou até ficar totalmente assada, e dourada nas bordas.

Enquanto isso, prepare o recheio, que é dificílimo: misture em uma tigela a farinha e o açúcar. Junte os ovos e mexa bem. Acrescente as raspas e o suco de limão, e mexa até incorporar. 

Quando a base estiver assada, reduza a temperatura do forno para 150°. Sem tirar a forma do forno, despeje o recheio sobre a base e asse por mais 25 minutos, ou até firmar e não balançar no centro. Nesse ponto, a minha base começou a dourar um pouco demais, e eu coloquei uma assadeira por baixo da forma, para não deixar queimar. Retire do forno, deixe esfriar sobre uma grade, e desenforme com a ajuda das alças de papel alumínio. Somente quando estiverem completamente frios, corte os quadradinhos com uma faca bem afiada. Polvilhe o açúcar de confeiteiro e sirva. O que sobrar, guarde em geladeira, em uma vasilha com tampa.


sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Torta de Liquidificador de Linguiça com Couve


Puxa, há quanto tempo não apareço por aqui.... Não porque não esteja cozinhando o bastante, e sim porque não tenho tido tempo para preparar as postagens. Não sei se isso acontece com vocês, mas à medida que o ano vai acabando, as coisas vão se acelerando, as demandas vão aumentando, e, quando você vê, está numa correria só...

Essa torta é perfeita para os dias de correria. Não precisa sovar a massa, não precisa colocar na geladeira para firmar, e nem necessita de outros pratos para complementar, exceto talvez por uma saladinha verde (se você quiser, pois tem folhas na torta). Melhor ainda, você pode fazer outras coisas enquanto ela assa (só não vale distrair e deixar queimar!).

E se você gosta desse tipo de receita, e também está vivendo dias loucos e cansativos, ou se apenas está com preguiça de preparar uma refeição completa, com arroz, feijão, carne, legume e salada, aqui no blog tem outras opções:

- Torta de liquidificador de espinafre com berinjela
- Torta de liquidificador com almeirão, queijo minas e castanha de caju
- Torta ligeiramente light de liquidificador

Torta de Liquidificador de Linguiça com Couve
(receita daqui)

Recheio
-      3 colheres de sopa de azeite
-      1 cebola média picada
-      2 dentes de alho picadinhos
-      2 tomates sem pele e sem sementes picados (deixei a pele)
-      2 linguiças calabresas defumadas picadas (coloquei 1 grande)
-      1 maço de couve picada fino
-      sal e pimenta a gosto

Em uma panela, aqueça o azeite, doure a cebola e o alho, junte os tomates, a calabresa, e deixe dourar. Acrescente a couve e deixe murchar. Retire do fogo, tempere com sal e pimenta e deixe esfriar.

Massa
-      4 ovos
-      1/2 xícara de óleo
-      1 xícara de leite
-      1 colher de sopa de amido de milho
-      2 xícaras de farinha de trigo
-      1 colher de sobremesa de fermento em pó
-      sal a gosto

Preaqueça o forno a 200°. Bata no liquidificador o óleo, leite, ovos, amido de milho, farinha de trigo e sal. Acrescente o fermento no final, e pulse para misturar. Verta metade da massa em um pirex untado e enfarinhado (ou uma forma um pouco mais funda), espalhe colheradas do recheio já frio, e coloque o restante da massa e leve ao forno por aproximadamente 40 minutos, ou até dourar.


quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Lassi de Manga com Laranja


Ótima pedida para o café da manhã! A receita, que provavelmente não é a original indiana, veio do livro Bills Open Kitchen, do Bill Granger. Se as suas frutas não estiverem doces, complemente com um pouquinho de mel ou açúcar.

Lassi de Manga com Laranja
(para 1 pessoa)

-      1/2 xícara de iogurte natural
-      1/2 xícara de suco de laranja
-      1 manga média, picada em cubos
-      3-4 cubos de gelo

Bater todos os ingredientes no liquidificador, ou no mixer, e servir imediatamente.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Torta (MARAVILHOSA) de Tomates


Essa maravilha de torta entrou direto para o meu top 10 de receitas favoritas! É muito, muito boa! Já fiz umas 3 vezes, em um intervalo pequeno de tempo, e sempre que recebo tomates na cesta de orgânicos fico com vontade de prepará-la mais uma vez. Na receita original, são utilizados tomates comuns, manjericão e queijo fontina, mas já substituí por tomate sweet grape (ou usei os dois em conjunto, como na foto), troquei o manjericão por cebolinha com raiz (foto), e usei queijo mussarela (me recuso a escrever com "ç") ou minas no lugar do fontina, que é muito difícil de achar em BH. Não se assuste com o alho inteiro, após assado, o gosto fica bem suave. A massa é aquela clássica, Pâte Brisée, e a receita dá para 2 tortas. Minha recomendação é que você faça a receita inteira e congele metade, embrulhada em papel filme, para usar depois, em um quiche, ou para repetir a torta de tomates. Acredite, ela é viciante...

Torta de Tomates
rendimento: 1 torta com 25cm
(receita daqui)

-      1 cabeça de alho
-      3 colheres de sopa de azeite extra-virgem
-      farinha de trigo para polvilhar
-      1/2 receita de Pâte Brisée (ver abaixo)
-      3/4 xícara de queijo mussarela ralado grosso
-      675g de tomates maduros, mas ainda firmes (uns 4 tomates médios)
-      sal e pimenta-do-reino moída na hora
-      cebolinha com raiz para polvilhar (ou manjericão, salsinha, tomilho, etc)

Preaqueça o forno a 180°. Em uma folha de papel alumínio, coloque o alho e 1 colher de sopa de azeite e embrulhe, vedando bem as pontas. Asse por aproximadamente 45 minutos, até ficar bem dourado, e macio (faça o teste espetando a ponta de uma faca). Eu já fiz sem o azeite e deu certo também. Normalmente, quando vou assar um bolo, por exemplo, aproveito o forno ligado e preparo o alho com um ou dois dias de antecedência. Retire do forno e deixe esfriar.

Aumente a temperatura do forno para 230°. Quando o alho estiver frio o suficiente para ser manipulado,  usando suas mãos ou as costas de uma faca, esprema os dentes para fora da casca, em uma vasilha pequena. Ele fica com a consistência de um patê. Se ainda houverem pedaços de alho, amasse com um garfo. Reserve. 

Em uma superfície levemente enfarinhada, abra a massa com um rolo, até que fique com uns 0,3cm de espessura, e com tamanho um pouco maior do que a forma (tipo uns 33cm). Remova o excesso de farinha com um pincel e coloque a massa em uma forma de torta de 25cm de diâmetro, com fundo removível. Pressione bem nos cantinhos, e depois passe o rolo sobre a forma, para cortar o excedente de massa. Leve à geladeira por uns 30  minutos, para firmar. 

Espalhe a pasta de alho sobre a superfície da torta, já resfriada. Polvilhe 1/4 xícara do queijo. Arranje os tomates, já fatiados, em círculos, começando das bordas, até o meio (sobreponha ligeiramente as fatias). Tempere com sal e pimenta-do-reino, polvilhe a 1/2 xícara restante de queijo e as 2 colheres de sopa restantes de azeite. 

Reduza a temperatura do forno para 220°, e asse a torta por 45-55 minutos, ou até a massa dourar e os tomates ficarem macios, mas mantendo o seu formato. Deixe esfriar sobre uma gradinha por 20 minutos. Polvilhe a cebolinha (ou a erva de sua preferência - manjericão é o ideal) antes de servir.

Pâte Brisée

-      2 1/2 xícaras de farinha
-      1 colher de chá de sal
-      200g de manteiga sem sal gelada, cortada em cubos
-      aproximadamente 1/4 xícara de água gelada

Em uma vasilha, ou no processador, misture a farinha e o sal. Junte a manteiga e pulse, ou misture com a ponta dos dedos (ou ainda um garfo), até virar uma farofa grossa. Adicione a água aos poucos, somente até conseguir formar uma massa (não coloque demais, para não ficar grudenta). Teste apertando uma pequena quantidade da massa: se ainda estiver esfarelando, coloque mais um pouco de água, 1 colher de sopa de cada vez. Despeje a massa em uma superfície limpa. Divida ao meio e embrulhe cada metade em papel filme, modelando como um disco achatado. Leve à geladeira por pelo menos 1 hora antes de usar, e no máximo por 1 noite. A massa congelada dura 1 mês. Deixe descongelar na geladeira, por 1 noite, antes de usar.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Oi Oi Oi! Biscoitos de Grapefruit


Gente, esses biscoitos são MUITO bons! Vocês não têm noção do cheiro maravilhoso que sai do forno quando estão assando. Eu sei, vocês devem estar pensando: mas Samantha, porque fazer biscoitos de grapefruit? Ninguém tem isso em casa... Pois é, minha gente, as grapefruits vieram na cesta de orgânicos, pensei em dar mais uma chance para elas (da última vez que comprei, tentei colocar na salada, e acabou saindo esse bolo aqui), mas não tem jeito: são azedas demais! Tentei chupar como se fosse laranja, fazer um suco, pensei em colocar na salada (de novo), mas não rolou... No desespero, para não precisar jogar fora, me lembrei dessa receita da super Martha Stewart, de seu super livro Baking

A receita original é de biscoitos recheados, mas resolvi dispensar o trabalho e as calorias. Sem contar que os biscoitos recheados duram muito menos tempo. Caso você prefira fazê-los desta forma, a receita do recheio também aparece aqui, no site da diva... E, caso você não tenha grapefruits em casa (ninguém tem mesmo), não se aflija: pode fazer os biscoitos com tangerina, laranja, limão cravo, limão siciliano, etc... Não importa a fruta cítrica escolhida, just do it! São tão bons que até merecem ser congelados no final da novela:

Calma, pessoal, não precisa me xingar... Ficou tosco, eu sei....   risos...

Biscoitos de Grapefruit
(rendimento: 30 biscoitos)

-      raspas da casca de 1 grapefruit vermelho (o que usei era bem grande), mais 1/4 de xícara do suco, espremido na hora
-      1 xícara de açúcar
-      1 xícara de farinha de trigo, mais um pouco para polvilhar
-      3/4 de xícara de farinha de bolo*
-      1 colher de chá de fermento
-      1/2 colher de chá de sal
-      100g de manteiga sem sal
-      2 gemas grandes (use preferencialmente ovos orgânicos ou caipiras)

Preaqueça o forno a 180°. Forre 2 assadeiras com papel manteiga e reserve. Em uma vasilha pequena, misture as raspas do grapefruit com 1 colher de sopa do açúcar, e vá espremendo com as costas da colher. Isto serve para liberar os óleos essenciais da fruta, e ativar ainda mais o seu aroma. Reserve. Em uma outra vasilha, misture as farinhas, o fermento e o sal. Reserve também.

Na tigela da batedeira, bata a manteiga e o açúcar restante em velocidade média-alta, por aproximadamente 2  minutos, até virar um creme claro e fofo, raspando as laterais da tigela sempre que necessário. Junte as gemas e bata somente até incorporar. Junte o açúcar, misturado com as raspas da grapefruit. Acrescente a metade da mistura de farinha, bata mais um pouco, junte o suco de grapefruit e depois o restante da farinha, e bata até incorporar todos os ingredientes.

Embrulhe a massa em plástico filme e leve à geladeira por 30 minutos, até firmar. Depois, aba a massa até atingir a espessura de 0,3mm, e corte com um cortador de biscoitos. Eu fiz um pouco diferente: enrolei a massa até virar um cilindro, de aproximadamente 3-4cm de diâmetro, deixei a massa mais um pouco na geladeira para firmar, e depois fui fatiando, com uma faca bem afiada e ligeiramente enfarinhada. Leve para assar, deixando um espaço entre os biscoitos, até que as bordas fiquem douradas. O livro indica 18-20 minutos, girando a assadeira na metade do tempo, mas é bom ficar de olho, pois cada forno funciona de um jeito. 

Retire do forno, deixe esfriar na própria assadeira por 5 minutos, e depois transfira a folha de papel manteiga, com os cookies, para uma gradinha, até esfriar completamente. Guarde em pote hermeticamente fechado, em local fresco e seco (os meus levaram 1 semana para acabar, e até o último dia estavam ótimos). Entretanto, se for rechear, mantenha-os na geladeira, em recipiente fechado, por até 3 dias.

* Farinha para bolos caseira: para fazer uma xícara, coloque 2 colheres de sopa de amido de milho e complete o restante com farinha comum. 

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Arroz de Bacalhau com Ovos


Essa é uma receita de família, que minha avó costumava fazer, e que sempre fez muito sucesso nos almoços de domingo e comemorações. Digo "costumava" não porque ela tenha morrido, Deus me livre, mas porque ela não tem mais ido para a cozinha com tanta frequência... Ela parece uma versão simplificada do Bacalhau à Brás, em forma de mexido, pois o arroz já é incorporado ao prato, e não servido à parte. As quantidades aqui indicadas são suficientes para servir umas 10 pessoas, com muita fartura, ok? Entretanto, ao fazer, leve em consideração a quantidade de homens, mulheres e crianças, e se você vai servir aperitivos ou acompanhamentos... 

Arroz de Bacalhau com Ovos

-      500g de bacalhau do porto, dessalgado, limpo e desfiado
-      9 ovos, orgânicos ou caipiras
-      2 xícaras de arroz comum
-      2 cebolas brancas grandes, picadinhas
-      6 dentes de alho grandes, bem picadinhos
-      azeitonas pretas portuguesas à gosto (aquela menorzinha)
-      azeite extravirgem, sal, pimenta-do-reino e salsinha
-      1 pacote de batata palha

Depois de dessalgar, limpar e desfiar o bacalhau, leve-o para cozinhar por 15 minutos, em água fervente. Escorra e reserve. Prepare o arroz como de costume: refogue o alho e o arroz em um fio de óleo, acrescente 4 xícaras de água fervente, tempere com sal (não exagere, o bacalhau já é salgado), e deixe cozinhar até ficar no ponto. Reserve. 

Em uma frigideira, de preferência antiaderente, coloque um fio de azeite e prepare os ovos mexidos, até que fiquem cremosos. Eu não coloco sal neste momento, prefiro deixar para o final da receita. Não deixe cozinhar demais, ou ficarão ressecados. Reserve. 

Em uma panela bem grande, refogue a cebola e o bacalhau em azeite, até a cebola ficar macia. Junte o arroz, e os ovos mexidos, e misture bem, para incorporar todos os ingredientes. Junte as azeitonas, tempere com pimenta-do-reino moída na hora e sal, se necessário. Polvilhe uma quantidade generosa de salsinha picada e passe o arroz para uma travessa. Coloque a batata palha em volta ou sirva à parte (eu não gosto de misturar, pois ela vai amolecendo). Sirva acompanhado de um bom vinho.




sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Bolo Delícia com Morangos


Sabe quando você come alguma coisa sensacional? Uma daquelas comidas que, ao dar uma mordida, você imediatamente fecha os olhos, de forma a reforçar o sentido do paladar? E que, depois de mastigar um pouco, você não se contém e solta aquele hummmmmmmmmm caprichado? (risos)

Esse bolo é assim, simples e perfeito (como em geral o são todas as coisas simples), e não precisa de nenhum acompanhamento ou enfeite além dos morangos orgânicos (aliás, use o máximo de ingredientes orgânicos que puder). A receita original é da Martha Stewart (só podia ser), mas eu encontrei primeiro no ótimo Smitten Kitchen, onde a autora substituiu metade da farinha de trigo por farinha de cevada. Como eu nunca vi isso por aqui, resolvi substituir por farinha de aveia. Aveia, pelo menos para o meu gosto, combina muito com morango... Como não tinha a farinha pronta, bati no liquidificador a aveia em flocos finos, o que gerou uma farinha um pouco mais rústica. Já fiz duas vezes essa receita, e em uma delas os morangos afundaram completamente, não me pergunte o porquê. De qualquer forma, o gosto continuou maravilhoso... Hummmmmmmm....

Bolo com Morangos

-      6 colheres de sopa de manteiga sem sal, em temperatura ambiente, mais um pouco para untar
-      3/4 xícara de farinha de trigo
-      3/4 xícara de farinha de aveia
-      1 1/2 colher de chá de fermento em pó
-      1/2 colher de chá de sal
-      1 xícara mais 2 colheres de sopa de açúcar (usei o cristal orgânico)
-      1 ovo grande, orgânico ou caipira
-      1/2 xícara de leite (o meu também era orgânico)
-      1 colher de chá de extrato de baunilha (no verde mar, um supermercado de BH, tem o extrato - não essência - orgânico)
-      1 1/2 caixa de morangos (450gr) orgânicos, sem os cabinhos, cortados ao meio

Preaqueça o forno a 180°. Unte uma forma redonda de 24cm com manteiga. Em uma vasilha, misture as farinhas, o fermento, o sal, e reserve. Na tigela da batedeira, misture a manteiga e 1 xícara do açúcar e bata por aproximadamente 3 minutos, até ficar pálido e fofo. Junte o ovo, o leite e a baunilha, e bata até misturar (em uma das vezes que preparei o bolo bati tudo à mão, e ficou bom também). Junte aos poucos a mistura de farinha e bata até ficar uniforme. Verta a mistura na forma, disponha os morangos por cima, com a parte cortada virada para baixo, se possível em uma camada única, e polvilhe com as 2 colheres restantes de açúcar. Asse por aproximadamente 50 minutos (lembrando que cada forno tem o seu tempo), até dourar. Faça o teste do palito. Deixe esfriar para poder cortar, ou ele vai quebrar. Eu aconselho usar uma forma de vidro, pois não é o tipo de bolo que desenforma, ok?


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Salada de Folhas com Laranja, Gorgonzola e Avelãs


A salada de agrião com gomos de laranja já é praticamente um clássico. São sabores que combinam muito bem. Desta vez, eu mantive a base, mas acrescentei outros ingredientes, que deixaram o prato ainda mais saboroso e completo. Gente, salada não tem receita, você coloca o que você gosta, na quantidade que achar melhor, ok? Se você é fã de nuts, se ama queijo (quem é mineiro levana a mão! O/), ou ainda se prefere caprichar nas folhas e reduzir os extras, vai fundo. Aqui eu usei alface lisa, alface roxa, agrião, gomos de laranja, gorgonzola esfarelado e avelãs. Temperei com suco de laranja, azeite, sal, pimenta-do-reino moída na hora e um toque de balsâmico.

Dica n° 1: tostar ligeiramente as avelãs no forno antes de usar (coisa de 5-6 minutos), para que fiquem mais saborosas e crocantes.

Dica n° 2: para cortar gomos perfeitos de laranja, descasque-a completamente (inclusive a parte branca) e depois, segurando a laranja com uma das mãos, com uma faquinha afiada, corte rente às membranas para retirar os gomos (o corte fica em formado de "V") e aí tire as sementes. O que sobrar na sua mão você pode espremer e usar para temperar a salada.

sábado, 4 de agosto de 2012

Cookies de Coco e Chocolate Branco


Estava procurando uma receita onde pudesse usar o coco ralado que sobrou do Bolo Piña Colada, e encontrei essa maravilha no site da Donna Hay. Os cookies são muito fáceis de preparar, e ficaram fantásticos. Uma receita para fazer e repetir muitas vezes. Eu usei gotinhas de chocolate branco, e como eram menores, ao derreter elas praticamente se incorporaram à massa. Se você quiser que o gosto do chocolate fique mais evidente, eu recomendo comprar uma barra (de boa qualidade, please), e quebrá-la em pedaços maiores. Rende uns 30 biscoitos, dependendo do tamanho. Difícil é comer um só...

Cookies de Coco e Chocolate Branco

-      125gr de manteiga em temperatura ambiente
-      1 xícara de açúcar refinado
-      1/2 colher de chá de extrato de baunilha
-      1 ovo
-      1 xícara de farinha de trigo comum
-      1xícara de farinha de trigo com fermento*
-      1 xícara de coco ralado
-      100g de chocolate branco em gotas (ou picado)

Preaqueça o forno a 180°. Bata a manteiga, o açúcar e a baunilha na batedeira (usei o mixer, com o batedor de arame) até virar uma mistura clara e cremosa. Junte o ovo e bata bem. Misture as farinhas e o coco e mexa com uma espátula de silicone, até incorporar todos os ingredientes. Por último, acrescente o chocolate. Faça bolinhas do tamanho desejado (usei para cada bolinha 1 colher de sopa bem cheia), enrole e coloque na assadeira, forrada com papel manteiga. No site ela recomenda achatar as bolinhas, mas não é necessário, os cookies esparramam bastante na forma (por isso deixe um bom espaço entre eles). Asse por 12-15 minutos (depende do forno), ou até dourar no fundo (levante com uma espátula para ver). Deixe esfriar na assadeira, pois quando saem do forno ainda não estão muito firmes. Guarde em um recipiente hermeticamente fechado. 

* Eu não tinha em casa farinha de trigo com fermento, então segui uma dica da Nigella, que diz para substituir por 1 xícara de farinha de trigo comum com 1 e 1/2 colher de chá de fermento, mais 1/2 colher de chá de sal.   

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Salada de Cenoura com Cardamomo, Gengibre e Limão


Ótima opção para variar a cenoura ralada de todo dia. O cardamomo e o gengibre dão um ar indiano ao molho da salada. Infelizmente eu não tinha hortelã em casa, e tentei substituir por alecrim e gergelim preto (esse último mais para contrastar com a cor da cenoura), mas eu recomendo muito que você não a deixe de lado, pois tenho certeza que combinaria muitíssimo bem. O limão, para o meu gosto, foi um tantinho demais, e da próxima vez eu reduziria um pouco a quantidade. Mas talvez isso tenha ocorrido justamente pela falta da hortelã para equilibrar. Enfim, o importante é sair da mesmice. Siga a sua intuição na hora de fazer, e vá ajustando as quantidades ao seu paladar. Ah! A receita é do livro (lindo) Falling Cloudberries, de Tessa Kiros.

Salada de Cenoura com Cardamomo, Gengibre e Limão
(serve 6-8 pessoas, como acompanhamento)

-      550g cenoura (cerca de 8 médias)
-      1/2 cebola vermelha picada em pedaços pequenos
-      suco de 2 limões sicilianos
-      2/3 xícara de azeite extravirgem
-      2 colheres de chá de sal
-      1 colher de chá de açúcar
-      pitada de pimenta-do-reino branca
-      1 pedaço de gengibre com uns 3 cm, finamente picado ou ralado
-      1/2 colher de chá de cardamomo moído
-      um punhado pequeno de folhas de hortelã (troquei por alecrim e gergelim escuro)

Corte as cenouras em pedaços grandes e leve ao processador para pulsar (não deixe picar demais para não perder a textura). Transfira para uma vasilha, e acrescente a cebola. Para fazer o molho misture o suco de limão, azeite, sal, açúcar, pimenta, gengibre e cardamomo. Misture à cenoura e cebola, mexa bem, e deixe descansar por algumas horas. Antes de servir, junte as folhas de hortelã picadas. Eu preparei 1/4 da receita, e serviu muito bem 2 pessoas, como acompanhamento.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Tirinhas de Alcatra com Tomilho e Limão

Receita rapidíssima e muito saborosa da Nigella. É uma carne diferente, pois é marinada depois, e não antes de cozinhar, como normalmente acontece. A alcatra fica muito macia, e os sabores do tomilho e do limão casam perfeitamente com a carne. E o melhor de tudo: é muito rápido de fazer! A foto não ficou das melhores, pois foi tirada à noite (sorry), mas pode fazer que é muito bom!

Tirinhas de Alcatra com Tomilho e Limão

-      1 filé de alcatra com 2,5cm de altura e cerca de 600g (retire a gordura)
-      5 galhos de tomilho
-      2 dentes de alho amassados
-      80ml de azeite extravirgem
-      casca e suco de 1/2 limão
-      sal e pimenta-do-reino à gosto

Coloque para aquecer uma grelha, grill, ou panela de fundo pesado. Pincele a carne com azeite para evitar que grude, e grelhe por 3 minutos de cada lado, e depois por mais 1 minuto de cada lado para uma carne malpassada (como eu prefiro ao ponto, deixei 2 minutos de cada lado). Enquanto a carne cozinha, coloque as folhinhas de tomilho, alho, azeite, casca e suco de limão, sal e pimenta-do-reino moída na hora em uma vasilha grande e rasa. Quando a carne estiver pronta, transfira para a marinada e deixe por 4 minutos de cada lado (ela cozinha mais um pouco no limão). Remova para uma tábua e corte fatias finas na diagonal.


domingo, 15 de julho de 2012

Não compre animais de estimação. Adote um amigo!

Bom dia! Vi esse post no blog Casos e Coisas da Bonfa, e resolvi colocar aqui as fotos, pois essa é uma causa que me sensibiliza muito. Quase todos os dias, quando entro em qualquer site de notícias, leio alguma nota horrorosa sobre um animal maltratado. Dá um desânimo danado ver a que ponto a crueldade humana pode chegar... Gente que tortura, que bate, que abandona um bichinho na rua, para mim, não vale nada. Graças à Deus existem outras pessoas que acolhem, cuidam, dão amor e carinho, e nos mostram que ainda é possível ter esperança. Aqui em BH existe uma ONG chamada Cãoviver, e esses são alguns dos bichinhos que estão lá, esperando por alguém que possa dar-lhes um lar e, principalmente, amor. Se você não puder adotar, pode ajudar de várias formas, seja contribuindo com alguma ONG, trabalhando voluntariamente, fazendo doações, ou conscientizando seus amigos e família da importância da adoção. Infelizmente, ainda existem muitos animais nas ruas, em situação deplorável, precisando de mim, de você, de todos nós. Vamos, juntos, mostrar que ainda é possível acreditar em valores como bondade, caridade, amor! 













quarta-feira, 11 de julho de 2012

Suco de Abacaxi com Manjericão e Rúcula


Outra receitinha de suco verde, para começar o dia com muito pique e saúde! Eu provei um suco como esse quando estive em Itacaré, no Tio Gu Café e Creperia, mas o de lá também levava hortelã, que eu não tinha em casa. Se você tiver e quiser acrescentar, fica melhor ainda. Não tenho a receita deles, mas o meu eu fiz assim: bati no liquidificador 2 fatias grossas de abacaxi, 3-4 folhas de rúcula, um bom punhado de manjericão, açúcar demerara a gosto, gelo e um pouco de água, para não ficar muito grosso. Depois, é só coar e servir.  

domingo, 8 de julho de 2012

Torta de Cebola e Champignon com Massa Filo e Mostarda


Essa torta deliciosa é uma ótima opção para quem quer comer algo mais leve, e quase sem gordura, pois leva massa filo (phyllo) no lugar da massa folhada, ou da massa brisée (ambas ricas em manteiga). Também vai muito pouco queijo, se comparada a uma quiche comum. O recheio ainda leva leite semidesnatado, além da cebola e do champignon, dois ingredientes pouco (ou nada) calóricos. A receita foi adaptada do livro Sabor com Saúde - Hortaliças, uma coleção antiiiiga da Editora Abril (acho que nem vende mais). Sirva acompanhada de uma salada verde, e só.

Torta de Cebola e Champignon com Massa Filo e Mostarda

-      2 cebolas grandes picadas
-      3/4 xícara de champignon picado
-      8 cebolinhas em fatias finas
-      1/2 xícara de água (ou o equivalente de caldo de legumes)
-      2 colheres de sopa de farinha de trigo
-      1 xícara de leite semidesnatado
-      3 ovos, orgânicos ou caipiras
-      8 folhas de filo, de 43x28cm
-      2 colheres de sopa de mostarda Dijon
-      1/4 xícara de queijo gruyère ralado grosso
-      Sal, pimenta-caiena, tomilho e alecrim a gosto
-      azeite extravirgem

Préaqueça o forno a 180°. Em uma frigideira antiaderente grande, coloque a cebola, a cebolinha, a água, e tempere com sal, pimenta-caiena, tomilho e alecrim a gosto (se for usar caldo de legumes, maneire no tempero). Deixe ferver, tampe e cozinhe em fogo baixo por cerca de 10 minutos, para amaciar a cebola. Destampe, junte o champignon e cozinhe por mais uns 5 minutos, ou até o líquido evaporar e a cebola dourar. Desligue o fogo e reserve.

Enquanto a cebola cozinha, coloque a farinha em uma tigela média e acrescente o leite aos poucos, mexendo bem para não deixar empelotar. Junte os ovos, sal, pimenta (lembre-se que você já temperou a cebola), misture e reserve.

Coloque 2 folhas de filo sobre uma forma de 22cm de cerâmica para tortas (pode usar uma forma desmontável, se quiser), dobrando as pontas que sobrarem para dentro, mas sem deixar de cobrir as bordas. Pincele o azeite (pouquinho mesmo) e espalhe 1/3 da mostarda. Coloque mais 3 folhas de filo e repita a operação. Coloque as 3 folhas restantes e o resto da mostarda. Recheie a torta com a mistura de cebola e regue com o molho de leite. Polvilhe o queijo por cima de tudo e leve para assar por cerca de 25-30 minutos, ou até a massa dourar ligeiramente e o recheio firmar.


sábado, 7 de julho de 2012

Bolo Piña Colada


Meu pai fez aniversário em maio, e eu me ofereci fiquei encarregada de levar o bolo. Pensei logo em escolher uma receita desde livro, que eu adoooro, mas que raramente tenho a oportunidade de usar, visto que as receitas são só para bolos de festa. Passei uns dias folheando o livro, viajando nas fotos, e optei por fazer esse Piña Colada, pois acho uma delícia essa combinação de sabores. O bolo leva açúcar mascavo, é umedecido com rum, tem recheio de abacaxi e cobertura de coco... perfeito! 

Antes de fazer a receita, pesquisei um pouco na internet, para ver a quem mais tinha feito e qual a opinião dessas pessoas. Como o livro não possui versão em português, a maioria das críticas era de sites gringos, e quase todas imensamente favoráveis (oba!). Porém algumas falavam que o recheio era bem doce, e em pouca quantidade, ao contrário da cobertura, que rendia bastante. A solução, maravilhosa, eu achei no blog Technicolor Kitchen, que também havia preparado o bolo: misturar ao recheio uma parte da cobertura. Amenizava um pouco o doce da geleia e ainda fazia render mais. Ótimo exemplo de jeitinho brasileiro (jeitinho do bem, claro, não aquele jeitinho desonesto)! Aproveitei outras dicas de lá também, como usar abacaxi em calda, já que nunca vi abacaxi enlatado em seu suco, e ainda reduzi um pouco a quantidade de açúcar, que achei demais. O bolo fez um sucesso enorme, aprovadíssimo! 


Bolo Piña Colada
(levemente adaptado daqui)

Bolo:
-      3 3/4 xícaras de farinha para bolo*
-      1 3/4 colher de chá de bicarbonato
-      1 colher de chá de fermento em pó
-      1/2 colher de chá de sal
-      2 xícaras de açúcar mascavo (não apertei na xícara na hora de medir)
-      200g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
-      1 3/4 xícara de buttermilk**
-      5 ovos
-      2 colheres de chá de extrato de baunilha

Pré-aqueça o forno a 180°. Unte 3 formas redondas de 22cm com manteiga. Forre o fundo de cada forma com papel manteiga, e unte também o papel. Em uma vasilha grande, peneire a farinha, bicarbonato, fermento e sal, misturando levemente. Junte o açúcar mascavo, a manteiga e 1 1/2 xícara do buttermilk. Bata na batedeira, na velocidade baixa, até incorporar todos os ingredientes. Aumente e velocidade para média e bata por 2-3 minutos, até ficar leve e fofa. À parte, misture os ovos com o buttermilk restante e a baunilha e junte à massa em 3 adições, raspando as laterais da vasilha e batendo somente até incorporar. Divida a massa entre as formas e leve para assar  por 25-28 minutos (faça o teste do palito). Deixe esfriar nas formas por 10 minutos e depois vire sobre uma gradinha para desenformar, retirando o papel com cuidado. Como eu não tinha 3 formas com o tamanho indicado, usei 2 de 26cm, e preparei a massa de 2 vezes, porque o meu forno é uma porcaria, demora demais, e só cabe um bolo de cada vez (fiquei com medo de deixar a massa pronta esperando um tempão e ela desandar).

* Farinha de bolo: para fazer uma xícara, coloque 2 colheres de sopa de amido de milho e complete com a farinha de trigo.
** Buttermilk: para fazer uma xícara, coloque 1 colher de sopa de suco de limão e complete com leite. Mexa bem e deixe descansar uns 10 minutos antes de usar. 

Recheio de Abacaxi:
-      1 lata de abacaxi em calda (reserve 1 fatia para decorar)
-      1 xícara de açúcar
-      1/4 xícara de suco de limão
-      1 fava de baunilha (abra no sentido do comprimento, e raspe as sementes com as costas de uma faca)

Escorra a calda e pique o abacaxi finamente (ou esmague com as mãos). Em uma panela, misture o abacaxi, o açúcar, o limão e a bauninha (as sementes e a fava). Leve ao fogo médio-baixo por 2-3 minutos, mexendo para dissolver o açúcar. Aumente o fogo para médio e deixe ferver, mexendo ocasionalmente para não grudar, até secar toda a calda e a mistura ficar com a consistência de uma geleia. Deixe esfriar completamente antes de usar. Esta geleia pode ser feita com um dia de antecedência. Para rechear, misture a geleia de abacaxi a uma xícara do buttercream de coco.  

Buttercream de Coco:
-      3 claras de ovos
-      1 xícara de açúcar refinado
-      1/4 xícara de água
-      250g de manteiga, em temperatura ambiente
-      2/3 xícara de leite de coco

Coloque as claras na tigela da batedeira (eu usei o mixer com o batedor de arame adaptado) e reserve. Em uma panela misture o açúcar e a água e leve ao fogo médio, mexendo até dissolver. Pare de mexer e deixe ferver até a calda ficar no ponto de bala macia (114° - use um termômetro culinário). Batas as claras levemente, só até espumar. Com a batedeira ligada, acrescente a calda aos poucos, em fio, e continue batendo até o merengue resfriar e chegar à temperatura do corpo. Diminua a velocidade da batedeira e vá acrescentando a manteiga, várias colheradas de cada vez, até formar uma cobertura fofa e macia. A minha manteiga estava em temperatura ambiente, mas como a cozinha estava quente por causa do forno, ela amoleceu demais, e a cobertura não firmou. Se isso acontecer com você, não se desespere, leve a vasilha ao congelador por uns 3-5 minutos, até esfriar um pouco, mexendo a cada minuto para não congelar o fundo, e volte a bater na batedeira. Junte o leite de coco em várias adições, raspando as laterais da tigela a cada adição. Esta cobertura deve ser preparada pouco antes de usar (reserve 1 xícara para misturar ao recheio).
Montagem e Decoração:
-      2/3 xícara de rum
-      flocos de coco
-      1 fatia de abacaxi

Coloque uma camada de bolo, com o lado reto para cima, no prato escolhido. Pincele rum sobre a superfície, para umedecer. A quantidade vai depender do seu gosto, eu devo ter usado 1/2 de xícara ao todo (se for para festa de criança, melhor usar menos ainda). Espalhe o recheio, deixando um pedacinho da borda sem. Só para lembrar: se o seu bolo tiver 3 camadas, e não duas como o meu, é preciso dividir o recheio em 2 partes e o rum em 3, claro. Cubra com o bolo restante, umedeça levemente com o rum e espalhe o buttercream nas laterais e topo. Se quiser, decore as laterias com o coco em flocos (eu tostei levemente no forno para dar uma cor) e enfeite o topo com a fatia reservada do abacaxi. Se for deixar na geladeira, lembre-se de retirá-lo uma meia hora antes, para o buttercream não ficar duro.